* Artigo escrito para o Scrapbookbrasil, publicado em 14/11/2011

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

ANOTANDO A VIDA

Outro dia, tentando fazer um LO digital para um desafio, comecei a pensar na minha relação com as páginas de scrap. Desde que eu entrei no scrap, as tradicionais páginas, os layouts, nunca me atraíram muito. Eu vim bater aqui pelos cartões e outras possibilidades, mas confesso, não achava graça em fazer página. Não que eu não achasse bonito, nem que não gostasse de fotos e registro de histórias, muito pelo contrário. Quando tinha 16 anos, minha mãe, que sempre gostou de escrever, me deu de presente um enorme “caderno de anotar a vida” (a ideia vem do livro “A Casa dos Espíritos” da Isabel Allende). Desde então eu escrevo diários (sem contar aqueles da infância, que infelizmente não guardei), conto histórias e mais histórias e amo tirar fotos. Mas com as tais páginas de scrapbooking, tinha muita dificuldade de fazer algo que me agradasse.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado
Meu “caderno de anotar a vida”

Com o tempo fui percebendo que o meu principal problema com os LOs é que o formato deles não funciona para o tipo de registro que eu gosto de fazer, pelo menos não o registro frequente, do dia-a-dia. Eu gosto de escrever muito, de contar muitas histórias, uma ligada a outra. Contar histórias pontualmente, em páginas, não estava funcionando para mim. Foi depois de concluir isso, e ajudada por alguns outros fatores, que eu comecei a buscar outros caminhos.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Um deles foi o trabalho e o exemplo de outras scrappers que eu admiro muito, como a Ali Edwards, que sempre nos lembra que não há certo x errado, que o importante é registrarmos nossas histórias, aquilo que tem significado para nós, sem neura de perfeição. Outra foi perceber que, se eu quisesse de fato produzir, registrar memórias de forma artesanal, não só no computador como vinha fazendo, precisava de uma base pronta. Algo em que eu pudesse trabalhar sem precisar partir do zero, de modo que eu pudesse focar somente no “contar histórias” e não me preocupar ou gastar o pouco tempo livre que tenho com a confecção da base.

Mas, como scrapper, sempre achava que eu tinha “obrigação” de fazer tudo, montar um álbum, decorar a capa, etc. Eu me cobrava isso e como não tinha o tempo para fazer do jeito que eu imaginava que deveria ser, acabava não fazendo nunca e deixava de registrar as histórias do jeito que queria.

MINHA VIDA É UM SMASH ABERTO

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Quando apareceu o Smash, justamente em um momento em que eu buscava algo fácil e rápido para registrar o mês que estava para começar, resolvi desencanar de vez e assumir meu scrap informal. O Smash estava ali na minha frente, pronto, todo bonitinho, cheio de páginas, piscando pra mim e gritando “escreva-me”.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Serviu perfeitamente para o que eu precisava, finalmente consegui colocar no papel o que antes ficava em arquivos de computador, muitas histórias com fotos e a diversão de decorar com materiais de scrap. E não precisa necessariamente ser assim, um “Smash”, qualquer álbum ou caderno do tipo, que seja uma base já pronta, com materiais adequados que não prejudiquem as fotos, irá me servir da mesma maneira.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Sabe aquele papo de que fazer scrap é pra gente mesmo? Não é só papo, é exatamente isso. Quando a gente começa, tende a querer seguir o que vê os outros fazendo, mas aos poucos começa a enxergar aquilo que move a gente a produzir, que tem a ver com os nossos próprios sentimentos e gostos, que faz o trabalho fluir com naturalidade. É isso que faz cada trabalho de scrap ser único e original.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Continuo buscando meus caminhos, tentando descobrir o que me agrada e o que funciona pra mim, guardando os momentos em fotos, registrando as histórias que não quero esquecer, mas sem cobranças comigo mesma. Desde que comecei a fazer isso, passei a produzir mais, contar mais histórias e me divertir mais. Nem sempre percebemos o valor de uma história contada, às vezes parece até bobo contar em detalhes algo que aconteceu ontem, mas daqui a algum tempo o prazer de reler e relembrar esses momentos fará tudo valer a pena.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

E as páginas? Continuam não sendo frequentes… normalmente elas saem quando querem, não quando eu tento fazê-las. Algumas lembranças específicas, alguns temas que me tocam muito, acabam saindo naturalmente em páginas, ou às vezes simplesmente dá vontade de fazer uma página, sem pressão.

Registro de histórias através do scrapbooking simplificado

Espero que, de alguma forma, ter contado essa historinha possa inspirar mais alguém a registrar seus momentos preciosos pelo simples prazer de fazê-lo, sem receio de fazer “errado”.

Posts relacionados

Share →

6 Responses to Páginas x Registro de histórias

  1. D-E-M-A-I-S! Amei!
    Amo diários mas com o tempo eles se tornaram apenas uns arquivos no computador e hoje nem isso. Estou perdendo muitos registros de momentos importantes, principalmente da vida dos meus filhos, porque fico me cobrando de fazer uma coisa muito certinha, detalhadinha, e como não dá tempo, fico sem nada. Amei sua idéia. Fiquei me coçando pra ter uma impressora e fazer um livro lindo assim. (ah, nunca fiz scrap, mas acho fofo!)
    Já estou tendo idéias!
    Beijos!

    • Luciana Murta disse:

      Oi Renata, que legal que vc gostou da ideia! Compra um Smash ou algo similar pronto, escreve a mão mesmo, mas não deixa de registrar não! Eu tb tenho escrito muito à mão, mesmo sem gostar muito, pq até digitar e imprimir se torna mais um obstáculo e eu acabo deixando de fazer às vezes.

      Um beijo! 😀

  2. Carol Rosa disse:

    Antes mesmo de você ter falado no final que esperava que sua história pudesse inspirar alguém, você já tinha me inspirado.
    Adorei! Acho que precisava mesmo desse empurrãozinho 😉
    As vezes nossas cobranças (que partem unicamente de nós) são tão grandes que perdemos o foco. Pelo menos eu sou assim algumas vezes. Deixo de lado a diversão, esqueço que o mais importante é sentir, tocar naquele significado que traduz tudo para mim e no final, não importa se traz alguma coisa para ou outro ou não, porque no fundo eu sinto!
    Muito bom te encontrar no meu caminho hoje! Bom dia, boa semana, bom ano!! Beijos
    Carol

    • Luciana Murta disse:

      Que bom Carol! É o que acontece comigo tb, mas tenho tentado muito mudar e esse novo jeito de registrar está ajudando bastante!

      Beijos e obrigada!
      Lu

  3. […] eu falei no primeiro artigo (Páginas x Registro de Histórias), compreender que eu precisava de um álbum semi-pronto para conseguir registrar as histórias que […]

  4. […] estava fazendo o meu próprio Project Life com os recursos que tinha à mão nestes dois posts:   Páginas x Registros de Histórias e Colecionando […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SIGA-ME

RECEBA AS POSTAGENS POR EMAIL:

Delivered by FeedBurner

© 2017 Luciana Murta

error: Conteúdo protegido