Alguém aí está fazendo o Project Life? Eu consegui terminar meu registro do ano de 2012, usando o álbum Smash como base. Já falei antes sobre como estava fazendo o meu próprio Project Life com os recursos que tinha à mão nestes dois posts:   Páginas x Registros de Histórias e Colecionando Memórias

Não registrei tanto quanto eu gostaria, mas registrei o que foi possível, e nesse “o que foi possível” incluo não só os impedimentos normais pelas obrigações do dia-a-dia e a falta de tempo, mas também pela preguicinha  e os dias em que simplesmente não tinha vontade de escrever nem tirar foto de nada, mesmo com tempo sobrando. Passei períodos longos sem acrescentar nada ao álbum, sem escrever uma linha sequer, mas não desisti, não me deixei levar pelo sentimento de “melhor largar de vez” por ter ficado muito tempo sem escrever. Ainda bem! Quando voltei a registrar, coloquei aquilo que lembrava, o que marcou, as (poucas) fotos que tinha e pronto, tá valendo. Foi desse jeito que consegui completar o ano. É muito bom olhar agora para ele assim, gordinho, cheinho de histórias, de lembranças, de fotos. Já comecei um novo álbum em 2013.

Sei que nem sempre temos tempo para escrever, ou mesmo para dosar o quanto vamos registrar e o quanto vamos vivenciar dos acontecimentos (quem nunca se pegou dividido entre olhar pela lente da câmera e gravar um momento especial ou simplesmente assisti-lo sem preocupação com o melhor ângulo?), mas eu acho que vale a pena, por mínimo que seja, e vou dizer por quê.

Em primeiro lugar, a atividade em si de fazer os registros é uma delícia. Pelo menos quem lê este blog, imagino que, como eu, fosse apaixonada por cadernos, diários, agendas, canetas coloridas, papeizinhos, enfeites, etc. quando menina. Poder agora, depois de adulta, fazer uma atividade que ao mesmo tempo em que distrai e relaxa, remete à nossa infância e conta a nossa história, dá uma satisfação enorme e proporciona horas de diversão. As ferramentas e variedade de materiais que existem hoje em dia  são de enlouquecer e, mesmo com poucos recursos e materiais, com criatividade podemos fazer muita coisa.

Em segundo lugar, embora fazer diários possa soar bobo e até infantil, registrar nossas histórias vai muito além de contar o que comeu, o nome da melhor amiga ou o que fez na escola, como fazíamos nos diários de criança. Envolve família, amigos, acontecimentos, celebrações, alegrias, angústias. É a possibilidade não só de guardar memórias que gostaríamos de relembrar daqui a anos, mas também de contar histórias para nossos filhos, netos, bisnetos, etc.

Quando escrevemos nossa história, falamos dos nossos filhos, por exemplo, mas também falamos COM eles, através dos nossos relatos, da nossa percepção sobre eles, dos nossos valores. Até mesmo as histórias sobre eles que escolhemos guardar têm um significado e conta alguma coisa sobre nós. O que nessa história foi tão especial aos nossos olhos para que desejássemos guardá-la para ser lembrada depois?

Quando escrevo, penso que possivelmente um dia meus filhos lerão aquilo e saberão mais de mim e do meu amor por eles, saberão de como vivíamos, do que fazíamos, de lugares aonde íamos, mesmo que eu já não esteja com eles. E quem não gosta de sentar e ouvir histórias da sua família, da sua infância, das pessoas que conviviam com você? É isso que um livro de registro de histórias faz, conta histórias da família para várias gerações.

Por último, dependendo do que registramos e da forma como registramos, escrever nossa história pode ser uma ótima forma de nos entendermos melhor e até de superarmos angústias e inseguranças. Eu mesma me dei conta, por exemplo, do quanto é inútil sofrer por antecedência relendo sobre receios que eu tinha de coisas que nunca vieram a acontecer. Se eu soubesse…

Por tudo isso, acho o registro de histórias uma atividade incrível, um hobby delicioso e que beneficia não só a gente mesma, mas nossa família e pessoas próximas.

Posts relacionados

7 Responses to Você faz registro das suas histórias?

  1. Luciana, como faço para participar desse projeto ?

    • Luciana Murta disse:

      Oi Erika,
      Na verdade não precisa de muita coisa, só fazer seus registros. O Project Life foi criado pela Becky Higgins, que lançou produtos da linha para facilitar o registro das suas histórias, como álbuns, tags, enfeites, etc. Dá uma olhadinha aqui no site dela: http://www.beckyhiggins.com/products/what-is-project-life.php

      Mas não é necessário ter o material específico para fazer seus registros (eu mesma, pela dificuldade e alto custo para comprar os materiais específicos do Project Life, uso os materiais que tenho e o Smash como álbum). Embora os materiais do Project Life sejam lindos e os álbuns super práticos, o mais importante é a gente guardar nossas memórias. O que mais precisa mesmo é vontade! 😀 Beijos!

  2. Talita disse:

    Oi, Lu!
    Adorei esse post! Concordo com tudo isso sobre registrar nossas histórias.
    Em 2012, também me propus a fazer “meu” project life.
    Fiz um “smash genérico” e fui registrando meu ano.
    Achei melhor fazer uma página dupla por mês, na tentativa de garantir a conclusão do projeto.
    E deu certo! Estou esperando as fotos de dezembro chegarem para terminar meu álbum.
    E vou dizer que a sensação de construir e terminar um projeto assim é incrível! Estou muito orgulhosa de mim 🙂
    Em 2013 optei por não fazer um álbum do ano… porque terei 2 grandes projetos pela frente: um diário de gravidez e um álbum para o primeiro ano de vida do Vinicius (que chega no fim de maio) – além do projeto “Vinicius” em si! hehehe
    Mas quero muito acompanhar teu smash vermelho 😉
    Beijos, Talita

    • Luciana Murta disse:

      Oi Talita, que delícia esse projeto!!! Parabéns, amei a notícia! Muitas felicidades e curta muito, esse com certeza é o melhor projeto de todos! 😀

      Beijos!

  3. Regiane Lima disse:

    Vi este seu post hoje cedo e por coicidencia fui na casa da minha sogra hoje a noite e ela estava me mostrando algumas coisinhas escritas da mãe dela que faleceu a poucos dias e ela me dizia o quanto ela dá valor em guardar esse tipo de lembrança pra sempre. Ela tem por exemplo desenhos e as primeiras palavras que meu marido escreveu quando foi alfabetizado e me deu uma vontade de fazer algo como esse para presentea-la mas acho que teria mesmo que comprar não teria tempo para produzir eu mesma rsrs.
    Mas parabéns pelo seu excelente trabalho feito sempre com muito carinho, amor e capricho.
    Beijos!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido