Currently viewing the tag: "Páginas de scrapbook"

Esta é a página que fiz para o álbum de bebê da querida Sandra Lima. O álbum acabou ficando temático, pois ela ama corujas e como nós sabíamos, todo mundo fez as páginas com esse tema :D.

Fiquei muito feliz de saber que ela gostou e que sua babê já nasceu. Muitas felicidades para as duas e toda a família. ♥

Página de scrapbook para o álbum da Karen, nossa colega do SBB que está esperando um menininho a qualquer momento. O tema era bebê dormindo. Beijos para a Karen e o bebê!

Mais uma página para os desafios do SBB. Essa é para o desafio da costura, onde deveríamos usar costura a mão na página.

Página para um desafio muito divertido do ScrapbookDay no SBB.  Na foto não dá para ler,  mas o texto no cantinho diz: Não importa onde estejam, filhos nunca saem do coração.

Como prometi, estou postando as fotos dos kits lindos e super criativos da Carla para a troca de materiais do SBB. Eram quatro, mas quando tirei as fotos, um deles já havia sido enviado, então tirei de três:

Esse é o meu! O que tem o botão famoso que aparece na apresentação dos vídeos do SBB (o verde grandão). Assistam a apresentação do projeto “Como é que” e confiram se não é ele. A Carla avisou que o nome da girafinha que eu dei pra ela (do post anterior) é Habibti, então o meu botão vai ser o Habibi e ele vai ser meu companheiro aqui na mesa:

Detalhe da embalagem super criativa da Carlinha:

Do outro lado mais coisas lindas:

E essa é uma página que eu fiz usando alguns dos materiais do kit, sobre o tema “saudade”, para o desafio Imperfect Lives do SBB:

Carlinha eu amei seu kit, muito obrigada por todo o carinho e pela assessoria na troca! 😉

Beijos a todos!

Essa página de scrapbook fiz para um desafio do SBB, onde deveríamos fazer um lift dessa página da Ingvild Bolme (scrapper norueguesa). Usei uma foto da casa onde morei na minha infância. O título, “Saudade de um tempo, de um lugar”, expressa a saudade que sinto dessa casa, mas mais especificamente da época em que vivi nela, que não volta mais.

Coincidentemente estava lendo hoje alguns pensamentos de Mário Quintana e encontrei um que, embora eu não tenha nascido nessa casa e nem ela tenha sido demolida, achei que combina perfeitamente com a página:

“Quem disse que eu me mudei? Não importa que a tenham demolido: A gente continua morando na velha casa em que nasceu”.

SIGA-ME

RECEBA AS POSTAGENS POR EMAIL:

Delivered by FeedBurner

© 2017 Luciana Murta

error: Conteúdo protegido